story:tell:her

18.8.16

1, 2, 3, 4

Vou a meio do terceiro. Quero acabar e não quero acabar. Gostava de começar.

8.12.14

Dos so:nhos

Em passando a época, espero voltar aos queques.

3.12.14

The future is a place where the past happens again.

A verdade é uma coisa de época


Sim.
E o recuo histórico é uma lente insubstituível de precisão, detalhe e compreensão.
Como os textos bíblicos, que começam tantas vezes com "naquele tempo", a memória é uma realidade construída à posteriori.
Na verdade, "se eu soubesse o que sei hoje" é uma impossibilidade quântica.

14.4.14

vi:achar

Por vezes, os vi:achantes mais vi:achados são os que vi:acham sem mo:vi:mento.

fruta da época

I:nespera:damente.
Três telefonemas e tudo muda. Três vidas diferentes. Na verdade, uma morte e duas vidas.
E uma pessoa fica-se naquilo que (se) segue.
Afinal, as coisas são como estão.

31.3.14

p/bad:locks


Parece que há uma petição para proibir os cadeados de amor nas pontes de Paris.
Que desfigura a paisagem, que danifica a estrutura, que é uma piroseira medonha alimentada por caixeiros de cadeados e tintas indeléveis. Que o compromisso turista expresso no metal e preso à vista, num ex-voto de amor pastiche, chaves perdidas no rio, denso, pastoso, escuro, é um disparate.
Mas a verdade é que toda a gente quer perder as chaves. Atirá-las ao rio é tão eficaz como contrair hipotecas.

história clínica com prognóstico reservado


Desde sempre que vigio os marcos da estrada. Prefiro os de pedra, claro, resguardados entre os arbustos da beira do caminho. Costumava registá-los, cuidadosamente, no banco de trás da hierarquia familiar, quando viajar não era um volante ou um gps, quando era só olhar para fora e, livremente, reparar nos marcos do caminho.
Nas autoestradas não há rotas esculpidas, há rectângulos azuis, modernos, competentes, assertivos; algarismos brancos sem dúvidas. Ao quilómetro 234. Ao quilómetro 365. Ao quilómetro quase sempre com três dígitos, que é quando acontecem mais coisas, toda a gente sabe.
Mas não reparei no quilómetro. Imperdoavelmente, não faço ideia de qual foi o quilómetro.
Nos autos da posteridade não poderei relatar, confiadamente, quando o sujeito sofreu embate violento e inesperado, com ruptura aguda da parede livre ventricular e putativa perda de função.
Não poderei distinguir, na incerteza do quilómetro, o antes e o pós perfuração.
Nisto das verdades ponta e mola há pouca memória dos detalhes.

26.3.14

como se não houvesse ontem


Reli partes de mim com três, quatro, cinco, dez anos. Micronarrativas, pormaiores de nada, a vidinha em post. Não me escrevo há muito tempo, tenho anos de intervalo na espuma digital dos dias.
Às vezes é mesmo assim, avançamos para trás.

24.3.14

Longa Vida

É uma ideia muito bonita, esta, de recolher epístolas que o mundo merece conhecer.
São cartas, postais, telegramas, faxes, memos, pedaços de histórias de vidas, algumas aos pedaços e outras de aromas. Como os iogurtes.

28.3.13

endoença

Muito a propósito do tríduo pascal, cozi peixe com batatas. Temo, porém, que se nos acabe aqui a contrição.
Depois da quaresma, a paixão. Contudo, na memória das oliveiras passadas, há um ano que me desequilibra os pecados do mundo. Tragicamente, nunca mais aleluia.


f:és

Ocorreu-me que o amor a um deus desatento pode ser como o de um amante desiludido.
Uma pessoa ama outra. A outra não cumpre. Isto não desvaloriza o amor da primeira, a qual poderá sempre elevar-se no consolo da sua verdade. Tal como o crente não atendido na sua fé.
Pior, o outro revela-se uma alforreca ou o deus um opressor.
O amor, essa dádiva extraordinária para quem o sente, escapará incólume? Tal como a beata que se mancha continuamente de parafina, poderá o amante reincidir naquele sorriso autista (beato, cá está) mesmo que magoado (já a parafina, queima pouco)?
Na verdade, o que temos para dar não se mede pelo que disso é recebido. Isso seria tremendamente injusto para o dador. Afinal, a compatibilidade de medulas, sabe-se, é muito baixa.

conta:dor

O Julian Barnes, que na altura em que fala daquilo tudo ainda não tinha nada a temer, acabou por sentir a morte muito pouco tempo depois. E a morte é sempre uma surpresa. Pat, a mulher de J, morreu subitamente alguns meses após a publicação do romance.
J quis morrer também. Segura-o a memória dela, deles. É ele o fiel depositário de todas as coisas suas, deles, daquilo que mais ninguém conhece, por mais livros que ele escreva e alguém leia. O amor também é isto, guardar bocadinhos de vida em gavetas próprias, um arrumário precioso embutido na pele, no cabelo, nos ossos.

26.3.13

ti:o:cidade

Com isto da Grândola, lembrei-me da tiocidade, esse sentimento libertário que eu acreditava ser a mensagem da revolução.
Neste caso, a maturidade linguística trouxe-me um verdadeiro pesar. Afinal estávamos todos dentro de uma fronteira urbanística e não daquele abraço camarada.
Assim como assim, fiquei titular de um conceito só meu. Com a liberdade de Abril, a solidariedade de Maio e a prudência da idade adulta, tiocido hoje com uma sobriedade quase asceta.


fora de época

Pus-me a fazer uma cataplana de tamboril.
Na verdade, é todo um esforço evocativo, para contrariar a chuva e o desconsolo. Até vesti um avental. A minha filha adora ver-me de avental. Na cozinha. A cozinhar. Ou isso sou eu?
Eu gosto de cataplanas. É uma palavra maravilhosa. Cheira a verão e a mar. É um utensílio robusto, gregário, amesendado.
Estava tão distraída a fatiar o pimento que me enganei na metade de cima e de baixo. Amorosamente, refiz as camadas e ateei-lhe o gás natural.
Nas cataplanas, como nas famílias, vai tudo em cru.

performance

Entrou quando eu já lá estava há tempo suficiente para precisar de mudar de assento.
Reconheci-o logo.
Há uns anos, ficaram-me aquelas lágrimas gravadas em technicolor. O guião era terrivelmente exagerado. Pediam-lhe que chorasse. Nós víamos aquilo tudo a acontecer, num ecrã, durante mais de 10 minutos. Um homem crescido, em grande plano, a chorar em frente a uma câmara. Embaraça-me, ainda, o pudor que senti à medida que o tempo passava.
Estava a mexer-se com facilidade, devia ser um exame de rotina.
Eu soltei-me do abraço desconfortável do sofá e sentei-me numa cadeira.
Nunca o vi em palco, só ali, à espera da tomografia, sem contraste.

164

Não conseguia tirar os olhos do rapaz.
Incomodava-me a canícula na veia, embora me tivessem garantido que já não estava lá a agulha. Se ao menos eu pudesse continuar no cadeirão.
Primeiro foi a surpresa, depois dei por mim a sorrir, estranhamente acompanhada. A memória a escorrer e a desprender-me os músculos. Isso e o anti-inflamatório.
Estava lá a acompanhar um pé partido. Tinha um livro de fotografia, mas estava obviamente indisponível para imagéticas. Mexia-se pouco. Eu também me mexia pouco, apesar de já saber que não havia agulha nenhuma.
Vá que já lá não estava o 166, uma pulseira amarela sibilante. Toda a sala se suspendia em cada inspiração. O rapaz já não se cruzou com o darth vader da infante santo.
O pé partido entretanto tinha-se levantado da cadeira de rodas para fumar um cigarro lá fora. Um lázaro da passa.
Era toda a metade superior da cabeça. O cabelo, a testa, o olhar. Mais baixo.
Encontrar as nossas pessoas assim, no fenótipo de estranhos, é muito perturbador.



25.3.13

p:ills

Ando mesmerizada com a minha prescrição.
Duas vezes ao dia, liberto os comprimidos da tablete e junto-os com a ponta do indicador direito.
Gosto de ver as cores a contrastar com a pedra preta do balcão. Diverte-me a minha condição de paciente contrariada.
Encho meio copo de água.
Há, portanto, uma comicidade instalada na minha fruteira koziol: bananas, tangerinas e caixas de comprimidos. Uma pessoa sabe que perdeu mão na vida quando assume a presença dos medicamentos nos balcões da cozinha.
Eu não tenho nada de grave.

24.3.13

intra:venous

Seis horas de ambulatório deixaram-me exausta de personagens e enredo. Não há como a triagem profissional para nos capitular in the big co:urse of events.

Es:tampa

A estampa estava ao baixo no banco do jardim. Travada por quadros sujos e uma estatueta africana. Já tinha um rasgão do vento e das obras.
Eu não gosto do neorrealismo, mas gosto do neorrealismo. Eram dois homens, largos, claro. Dois homens de feições duras, claro. 
Segui.
No meio das obras e do vento, voltei a procurá-los. Para confirmar que não gosto do neorrealismo e que não queria dois homens largos e duros pregados no meu estuque recuperado. Uns gaibéus com quase um metro de altura a fitar-me os florões do tecto.
Procurei o capataz do meu desassossego, esperando, claramente, um homem largo. Respondeu-me, desinteressado, que eram 50 euros. Não olhou para mim, não pegou na estampa. Disse que estava rasgada. Estava rasgada. Foi o vento e a falta de cuidado. Rasgou pelo topo da improvisada prensa colonial.
Eu nem aprecio o neorrealismo. 
Uma pessoa vai às feiras porque quem vende gosta tanto das coisas como quem compra. Porque as peças passam de mão num contínuo de respeito. 
E eu respeito muito o neorrealismo. Tenho de ir a Vila Franca.

Mr. Write

Tipo:graficamente, a única font:e adequada para as histórias de amor é a serifada.

Manifesto ba:house

Uma pessoa com doze metros de corre:dor tem muita oportunidade para questionar as escolhas. É toda uma via de por:maiores palmilhados quotidianamente.

Fragmentos

Gosto de espelhos pequenos. Tenho um espelho pequeno, com uma moldura de madeira, respigado numa banca, com um arame enrolado que o faz tombar para a frente.
Gosto de espelhos ligeiramente tombados. Justificam uma pessoa ligeiramente torta.
Os espelhos pequenos alinham-nos o objectivo com o chão da casa e as rajadas da luz. Vê-se uma quadrícula e imagina-se o resto da matriz.
A minha filha, pequena, não chegava ao meu espelho pequeno e via-se sempre aos saltos. As sobrancelhas levantadas na expectativa, um meio sorriso esperançado, esforçado, promitente. Toda uma infância ir:reflectida com terna nitidez.

Coup:le

Numa moldura pequena, estão dois pés pespontados num lençol. Um instantâneo de uma peça da Lourdes Castro, uma memória de algodão, doce. Um ex-voto ao amor.

A:teia

Eu, des:crente, trouxe hoje da feira um Santo António.
Preguei-o num esquadria de centros com o Espírito Santo e o meio ponto de lã florida.
Depois do registo - um octógono de galões vintage com um laço amarelo, mais uma peça sacra - este caramelo de barro vidrado assinado pela neta Ramalho.
Ocorre-me que há ainda o retábulo no outro canto - uma prancha escalavrada, onde uma mão pia se esgueira de um manto à vista dos anjinhos, com um 18 vincado a carvão (não fosse um dia alguém querer reconstruir aquele altar de caruncho).
Portanto, três bocados de idolatria, crucificados com pregos de latão dourado nas paredes do meu quarto.
Na falta de epifanias, posso sempre embalar-me na fé dos outros.

9.12.11

1.6.11

No domingo, o eleitorado deste corredor não vai à escola. Aqui, no coração de jesus, vota-se num stand de automóveis. Temo que isto seja já uma metáfora desastrosa dos resultados.

31.5.11

readdle

Um terço dos que sabem, vai hoje ler alto. Outro terço comprou, ontem, um livro para si e, hoje, dois livros para o terceiro, que não sabe de nada disto.

26.5.11

segundo andar direito

Temos entre duas e cinco cabeças; já houve piolhos. Partilhamos todos o quarto menos um, sempre com uma janela, sendo que dois têm duas. Todos os copos estão repetidos, menos um. Um de nós conhece uma osga, mas ainda nenhum a desenhou. Há outros desenhos no frigorífico, nas estantes e às vezes no estendal. Há dois nomes trocados e uma colecção de cromos cheia de repetidos. Ainda ninguém tem uma escova de dentes eléctrica, mas já as aprecei.

16.8.10

ac:nossa:lização

miraculosamente, não fomos devorados por hexapodas na casa de madeira; em honra, vou pintar um escaravelho; com tinta verde; na tela, não no escaravelho

há um esqueleto novo cá em casa; chama-se leonardo; teve a bacia e as rótulas ao contrário, mas agora já está bem, obrigada

fosse eu bióloga e teríamos um field guide oficial da flora portuguesa; assim sendo, colei espécimens vegetais em papel quadriculado para desenhar no inverno; isto se os bolores não chegarem lá primeiro

tenemos una guía de madrid en castellano

6.8.10

comprei uma écharpe sangue-de -boi; claro está que estou farta de canículas

1.7.10

at:i:tudo

cortei o cabelo e comprei quatro canetas bic; é a isto que eu chamo ter mão na vida

28.4.10

20.4.10

em draft há demasiado tempo

gosto de gesso, de esquissos e de rascunhos

19.4.10

22.3.10

la:gostaríamos

de ter mais uma muda

la:gostamos*

vamos começar a pintar

* verbo la:gostar: eu la:gosto, tu la:gostas, ele la:gosta...

19.3.10

mobil:iário

crime sito ao segundo andar, esquerdo

15.3.10

shelf life

em repartindo, vou mer:cear a ciência com o tricot e a culinária

10.3.10

à mercê:a:ria

ali à rua de s. josé, sita ao fundo, estaciona-se o meu desassossego; recordo-lhe os pormaiores, como as pranchas ortogonais dos lados ou o bascular gracioso; contudo, não se me ocorre claramente o pecúnio; a paixão tem destas loisas

megalóm:ana

não quero uma despensa, mas sim uma mercearia

9.3.10

sábado, salto das pranchas para a cubicidade

8.3.10

boas áreas

duas gerações entre disposições de interiores e qual é o resultado final? eu numa capeline de algodão às riscas; enorme, a capeline

mulherzinha

tivera eu c:umprimento suficiente e hoje fazia uma trança

2.3.10

g spotting

estou a tentar Gerir a minha peGada diGital em torno do GooGle

1.3.10

ana:lógica

ofereceram-me uns caderninhos japoneses que prometem best writing features; não havia versão digital

26.2.10

o antónio foi o meu primeiro editor, há mais de 10 anos (que é muito tempo, deste tempo inteiro que eu vos quero dar)

(mais aqui)
é isto

19.2.10

close:at

é que quero mesmo enfiar os esqueletos no armário

self:agem

aqui há uns dois dias, rasgou-se-me a blusa-cobra, sem pêlo nem agrafo; resta-me o lenço leopardo e uma vontade fininha por um colar piton, em metal bronze, malha batida, com a cabeça a dentar o corpo assim por altura do esterno

das penas

tivera eu um louceiro (1) e arrecadava a travessa de perús, recheados de bolota matiz

(1) o louceiro, conheci-o numa tarde de inverno, à junqueira; reconhecidamente, falta-me pé direito e talvez mesmo um bocadinho do esquerdo

da caça

uma perdiz, pequena; meia meloa; um pescoço azul prússia, amarinhado por um lagarto
ele há dias particularmente próprios para a prática (ppp, pareço gaga) da modalidade, sendo que tenho a coutada ali às avenidas novas

17.2.10

image:ina:ry

http://www.moma.org/interactives/exhibitions/2009/gabrielorozco/

s:to:r:ys 'r us

http://www.wefeelfine.org/

hang:her

daydreamimg about hooked apparel

draw:her

estou mesmo precisada de me arrumar

postergar (palavra nova)

se eu fosse mulher para continuar com esta metáfora amesendada, dizia que tanta indentação no green paper me abocanha toda e qualquer fruição nutritiva

or why should i eat my greens

o índice é uma espécie de relatório anoréctico

9.2.10

note to the world

saiba-se da minha mais recente admiração: o eduardo
[p.e., ppt does rocket science]

8.2.10

internet da república, de 08 de Fevereiro

hoje - e isto não estava em draft, tive a ideia que fará de mim uma mulher empossada
poste-se, anacm.

metapost

diatribar sobre o potencial de agressão dos azulejos das casas "recuperadas"; repudiar o azulejo espanhol e almejar uma quadrícula viúva lamego

5.2.10

carnet de l'ouest

em alcobaça há uma esquina onde se publicam as mortes da terra; ninguém passa sem lá olhar

TANSTAAFL

haverá tal coisa como almoços de(s) graça?

wilde you're doing it

e pensar que só hoje, entre o espinafre e o merengue, é que lhe atribui a verdadeira importância

the true million dollar question

are you mr write?

3.2.10

will it fly?

saudades de vi:achar

will it float?

agora que tenho outra vez um blog podia,
>discorrer sobre o sporting ou o crespo
>desfraldar as crianças a pantominar animais selvagens
ou mesmo,
>embeber uma musiquinha
e, contudo, nada.

is this a sinktank?

2.2.10

main entry: catawampous

synonyms: agee-jawed, agee, askance, askant, askew, askewgee, asquint, awry, catawamptious, cockeyed, crooked, skew-jawed, skew, skewed, slaunchways, squinting, wamper-jawed, wry, yaw-ways

(i have a crush on w(eir)ords)

excitability*


Belousov-Zhabotinsky: reactions are far from equilibrium and remain so for a significant length of time
(*under the influence of stimuli, patterns develop in what would otherwise be a perfectly quiescent medium)

e-smiles*


hoje, o publico.pt está esgargalado e eritematoso, pretensiosamente estatístico; ele há dias em que a família muito nos dissabora

*o intersticial é tão rápido que quase não se consegue ver, mas o email para sugestões (desagravos?) é feedback@publico.pt

1.2.10

01 02 * 20 10

se eu fizesse gosto no andrew bird, hoje era dia para blipar uma palíndroma; assim sendo, não

há que tempos que não tenho um blog

doem-me as articulações, substantilações e predicalações; e, em vendo bem, até as imagenações
girls>just>wanna>have>fan

naquele tempo, todos os dias estavam húmidos; as dores atropelavam-se e nada parecia mais urgente do que subviver ao próximo minuto ou ao desagravo do minuto anterior; o presente é sempre excessivo, mesmo in the big c(o)urse of events

transversal
acaso será possível traduzir a reacção não homóloga? as coisas estão como são

longitudinal
quando passarem as estações, depois das marés, parecerá ténue, talvez mesmo pouco; porquanto hoje é uma urgência surda, um episódio vermelho; sobrevém-me que, afinal, as coisas também são como estão

o ano está a chegar ao fim; mais uns dias e noites de areia e está feito; 2008_09, que às tantas atrás, pelo estio, gnostiquei de fantástico; mirabilis, horribilis, nobilis; desperto; tenho a minha 24-heures saint germain, já pode arrefecer

phoenix reburied
no final, (desen)rolou-se-me o desconsolo, húmido, na espuma suja de brooklyn; aposto que a areia marca o veludo para sempre; as sobrancelhas dizem muito de um homem, há que aprender-lhes a meteorologia

da estação
tenho um scrabble; já não sei se volto ao blog

olha, mamã - muito baixo - eu não tenho mesmo um amiguinho invisível, mas só tu é que sabes

sobram-me tantas pernas nesta filha; onde será que vai, assim depressa? temos que desacelerar; bem, eu já comecei a usar saltos

hoje sugeriram-me que numerasse os ossos do meu esqueleto; acho bem, sempre apreciei um plano b

agendei a minha re_cidadania para setembro; até lá identifico-me como ateniense ou grego, ao calhar

tem uma memória limpa de futuro; já eu, estou sempre a precisar de restart
tenho um computador novo; ou, melhor, há um computador novo que me tem a mim

das partilhas
na marginal, fiquei com de trás para a frente; deixei da frente para trás

tenho feitos novos e defeitos antigos; (de)pendências várias a caminho da dry cleaning

a criança hearts fins-de-semana e tra-lá-lás (como diz a R.)

upgrades
mamã, tive um sonho muito bom que quero guardar: primeiro, já conseguia andar de bicicleta sem rodinhas e depois voava; voava, mamã!

o gray é o novo blue
saiba-se que estou contente com o dia cinzento; é mesmo disto que preciso, de um cinzento estocástico, meteorológico, que não controlo nem posso lamentar como meu; meus lamentos, comiserações, contragostos, contrafacções, tudo muito injusto e infligido e o raio-que-ainda-não-me-partiu, que até os raios têm a sua ardência própria, toda para além de mim; isto de uma pessoa se fechar em si dá muito canso a toda a gente incluindo ao próprio; o self está tão overrated, é tão last season; o umbigo não é mais do que uma cicatriz, já este piercing ainda me há-de trazer tétano; just get over yourself, woman.

é verdade que andava estranhamente calma; a breves dias da pausa, sem bikini, mas com confiança; encontrei-o ontem, num sítio do costume, onde já (me) consumi sob todas as civilidades possíveis; entrei, serena, livre de expectativas, levemente aborrecida por não ter conseguido lavar o carro; pior que a pedicure é agendar a lavagem de um carro - o asfalto consome muito uma pessoa; esperei pacientemente que as adolescentes puxassem pela paciência das mães sob(re) fitas de cores - estas miúdas têm três vezes a minha copa (que é praticamente um pau), mas ainda não sabem o que é uma boa manilha; era quase o último, simplesmente adequado, discreto, o glamour guardado numas contas breves, atilhado nas ancas - tenho umas bonitas ancas; é, obviamente, um s; o meu bikini para este verão é uma promessa.

o senhor oliveira está certamente aculturado com o siadap lá no seu serviço, mas será ele um SIMplex at heart, que é como quem diz um afim que vota ps?

gosto de manifestos porque prefiro sempre viver do que não viver; como diz o becket, errar cada vez melhor

ontem à noite tive preguiça de twittar o #pcp; um coquinho daqueles e eu colada à pele do sofá; de que me serve o alcance todo destas pernas se as cruzo, reboluda?

a vida é espantosamente robusta, previsível, quase plácida; agora a morte é sempre uma surpresa; é a surpresa

casualties
hoje, por volta das oito e picos, confirmei que morreram mais de 58 mil americanos no 'nam; é sempre bom ter alguns números connosco, not to make things casual

cansada de invocar o recuo histórico, invisto na aceitação do avanço ficcional

temos agendado lá em casa um concerto "do rock"; chegou o momento de apresentar a criança à guitarra do boss; há-de aprender inglês para isto, com isto; sempre fui, sou, uma deslumbrada com os prólogos

a coisa amarinha no sentido inverso da digestão; nucleia a meio do corpo e expande-se também para baixo; o medo é um morcego perdido, cego também ao tacto

mergulhar no teu corpo entre qua(r)t(r)o paredes
dez anos depois de fausto navegar por este rio acima (1982), lá pelas três da manhã, naufragámos mil vezes; sempre me pareceu uma bonita maneira de o dizer, isso de ir ao fundo e voltar

epifonia
agora que cheguei cá, é transparente; o som atrasa-me; chamo-me luz

humoral theory
não é o amor, mas o humor que nos salva; reconheço-me falta de fleuma e excesso de bílis negra

estou em dizer que me apli/acaria um hirudoid intravenoso

habituada a explorar as brechas da agenda, a rapariga revisitava-a a espaços; primeiro descompassada, depois tenra; por ora infiltrada, quase exigente

sabes mamã, as almofadas têm dois lados: este é o lado dos sonhos bons

contudo, há uma elegância noir nas lágrimas que debo/utam um rímel

upon request de lúcia maria rita

22.9.09

vida #2

Há 10 anos almocei num chinês da Quinta do Lambert e, por alturas da banana fá-si, também já tinha arrefecido o meu futuro na bancada dos northern blots.

21.9.09

os versários estão sobreavaliados

Mamã, gostas de arroz de grilos?

23.4.09

Espaço-Tempo

Tinham o olhar preso pelas memórias de um futuro mais que perfeito.

Pré-molar

Tinha um sorriso diligente, quase completo.

22.4.09

Sistema

Tantas janelas abertas e não encontrava a ligação exterior.

Cordas

Desembaraçada, a rapariga segurava as certezas com nós corredios.

Privacidade

Costumava chorar a rir com as dramédias dos vizinhos de cima.

Postal

Recebia as notícias atrasadas porque chegavam sempre em nome de código.

21.4.09

Estilo

Prolongava o cabelo nas franjas dos lenços.

Filtro

Arde-lhe a pausa no papel molhado do beijo.

Paciência

Espalhava tempo em séries decrescentes.

Farinha

Tinha os melhores sonhos do bairro com (um) quase nada.

Prótese

O objectivo era alargar-lhe o sorriso.

Força

Pingaram-lhe as lágrimas com (a) gravidade.

Presente

Depois é que vai sendo.

Persiana

Entre dois golpes de luz ensombrou-se-lhe a clarividência.

Dona

Entornou o humor no teclado e respondeu ao doutor.

Phony

He just called to say I loved you.

20.4.09

Até

Esqueceu-se de si na despedida do outro.

Derrame

No poster, a vermelho está o nome do toureiro.

Brinde

Tússica, a rapariga entornou a saúde no atoalhado de papel.

17.4.09

UPS-a-daisy

Expressou a vontade de flores frescas.

Trarifário

Passava o dia de uma margem para a outra.

Weakdays

Moonday, Bluesday, Wedsday, Throughsday, Fryday, Sadday, Soonday

Vows

Let's be merry.

Lobo

Tinha os olhos grandes para os fechar melhor.

Penalty

"It will be fine."- she said.
"How much exactly?" - asked the infractor.

Pedro

Tinha na pele um alarme que era falso.

Aniversário

Um ovo, uma mãe de farinha e um pai de canela.

Tape

Looking forward; fast forward.

Oblivious

Pale saints can not do miracles but embrace amnesia.

Legado

Na autópsia, perceberam a justeza do primeiro diagnóstico.

Upon

She requested him to come forward and back her.

16.4.09

Lusíada

Dois metros depois, percebeu o ângulo daquele sorriso.

Abril

Desligou e reviu um calendário de vidas.


the girl always hearted short stories

14.4.09

in your dreams

agora que penso nisso, o pedro deve ser alérgico ao marisco; parece que até já lhe sinto uma brotoeja
looking forward, fast forward
fica já assente que o john c reilly poderá fazer de oliveira

13.4.09

há silêncios que são quedas
a rapariga estava quase solta, presa apenas a um fio próximo; de voz
pois bem sei que uma pessoa sente-se, e o melhor até seria não lhe contar, mas nunca se sabe se a coisa depois não sai um dia assim, de repente, como quem cospe uma espinha, e então é que era o diabo para o desemburrar; afinal foi só uma mini e ele nem me é nada; é um desencontro de esquina, uma bica paga, uma meia dose em cada mesa, já aqui vai para cinco meses; mas pronto, sempre é um hábito, uma espera; só que uma pessoa leva ali tanta hora de carreira, a desfiar os pensamentos, que também se cansa; e foi tudo no maior respeito que todo o carro lhe ouviu, ao passageiro 21, o telemóvel a cantar tanta vez, que aquilo era de certeza a mulher; ai, oliveira, se havia necessidade de tanto espalhafato derivado a uma mini

12.4.09

tenho em casa uma alma gótica

os corvos têm duas cabeças e as namoradas dos fantasmas têm quatro olhos

9.4.09

da paixão

chego à terra santa com a primeira lua cheia da primavera

da quaresma

há que tempos não topo o senhor oliveira; aposto que hoje à tarde já jejua

8.4.09

dripping fresh memories from an arrival

7.4.09

como um adolescente / tropeço de ternura por ti

holden-kid, shouldn't u smoke that much

o sexo é um jogo (cont.)

de sociedade (1): o trivial pursuit
quando há demasiados jogadores nunca mais acaba e ainda há um sacana que troca a ampulheta com a do pictionary

coming of age

small part for natalie portman as sunny; maybe a young ethan hawke could have played central role; o livrinho é um cereal-killer, it kills the teen blues out of you, it catches you up

6.4.09

a propósito das tri-eleições, indago-me se o senhor oliveira será um absentista...

make no mistake

phony is not a small telephone

just like many people i know

they live right in the goddam ice; it's their nature, for chrissake; they get frozen right in one position for the whole winter
ando a aprender palavras novas nos clássicos; por exemplo qualm que é como quem diz miúfas

3.4.09

ana/esthetics

umas calças? uns sapatos? umas calças? uns sapatos? umas calças e uns sapatos? none of the above; definitivamente, nada preto; stepping out of the shade; a midnight valium for a good night's sleep

2.4.09

numa casa de época (cont.)

também há lugar para a inovação; aguardo, com alguma ansiedade, o resultado do detergente líquido

bleen

hoje à tarde, ao mesmo tempo que nós, também quatro, galhofávamos sobre o quarteto fantástico, eu esgrimia indecisões sobre a cor dos olhos de uma criatura que, inadvertidamente, me surgiu num sonho; perseguida desde então pelo inusitado da circunstância, percebo que mais vale deixá-los gozarem-me até se cansarem; é que se não há dúvidas sobre o castanho do senhor oliveira, já o chico continua o mesmo mar de dúvidas
hoje, um amigo, melómano, perguntou-me se gostava de stevie wonder

le cadavre exquis boira le vin nouveau

pela primeira vez, joguei a uma espécie de cadáver esquisito - versão narrativa oral - com a criança; ainda não me recompus da abada; limitada aos auxiliares de ligação, entreguei-lhe o maravilhoso destino do caranguejo leonardo e da ostra olga que pregaram uma partida ao mar dizendo-lhe "somos gémeos" e logo a seguir "enganei-te, copo de leite"; é que arrumo já o blog

avançamos para trás

não resisto a jogos de palavras
quando fizer 35 anos, abril já poderá presidir à república

[não me posso por a ouvir o canto livre perseguido ou ainda fujo daqui à pergunta de frascos de iogurte e papel manteiga]
onde estaria o senhor oliveira no 25 de abril?
i told you, when i came, i was a stranger

bio_logics (cont.)

a saliva contém histatina, uma proteína com propriedades antimicrobianas e cicatrizantes; as lágrimas contêm sal

início da série: bio_logics

as palavras são pontos de nucleação; às vezes nacaram; outras vezes desorientam o ciclo celular

april's fool - f1 rules

a criança pregou-me uma peta em frente aos avós; bem pregada, com audiência; a miúda faz-se

31.3.09

i wonder

shall i put a little something in the lemonade?

kyoto revisited

lying on the monitor of the night before, with a stranger typed next to me

30.3.09

you're always a day away

i just stick out my chin and grin
estou em dizer que o senhor oliveira também ficou desolado com a capa da playboy
o meu despacho obriga-me a, quotidianamente, enfrentar as putativas escolhas que não fiz; acabo de teclar fantasias maravilhosas com inflações e matérias negras; melhor, superinflações e matéria negra criadora de estrutura; chique a valer; ainda assim regozijo-me com a trivialidade de as minhas cadeiras terem sido aparafusadas com instrumentação precisa, inventariada num qualquer instituto nuclear
hoje à noite, em estando derreada com o serviço público, sou capaz de ir merendar uma dose de bifinhos à esquina; aproveito a pega da criança - cuja escatologia lhe é reconhecidamente cara - e entabulo com o senhor oliveira sobre as vicissitudes do lacre electrónico; pode ser que isso me acalme a solitária que me destripa
i'm wearin' my heart like a crown
se eu não fosse uma mulher elegantíssima, cheia de nuances cor de canela, com esta simpatia toda que distribuo de forma aparentemente gratuita pela academia e arredores, se a minha carta para a semana não fosse a estrela e eu pusesse muita fé nos movimentos planetários, se por acaso eu hoje não tivesse combinado com a minha amiga que sim, que estamos muito bem dispostas (the pretenders), se os poucos, pouquíssimos, emails que vão chegando não me tivessem apaziguado alguma ansiedade relativa a tramitações em curso, se não fosse isto tudo, eu mandava a informática da universidade p'ó car... num mavioso estilo johnny guitar late 90's

29.3.09

o sexo é um jogo (cont.)

de cartas: (10) o poker
embora sempre na mira de um flush, escolhe-se frequentemente entre o bluff ou a mínima de mão
preparei um kir levezinho e lembrei-me do senhor oliveira; aposto que é apreciador de rosé

numa casa de época (cont.)

as ventanias temperam os tachos com as memórias das refeições do natal passado; os exaustores não passam de resguardos inoxidáveis da contemporaneidade
actually, duvets are a girl's best friend
pela manhãzinha, recebo ao telefone o relato da noite, embrulhada sob novas circunstâncias; reconheço-lhe na voz o pequeno prazer, repetido em cada volta do sono; era uma vontade antiga, anulada pela conjugalidade oficial; agora, atira-se na confiança dos braços abertos e aterra satisfeita na volúpia de uma vontade macia e quente

27.3.09

o sexo é um jogo (cont.)

de bola: (1) o rugby
pode ser à bruta e com dor, mas no final abraça-se com lealdade o adversário; diz-se que há equipas que não usam roupa interior
com tanta série, este blog parece um canal por cabo

numa casa de época (cont.)

a felicidade chega por vezes sob a forma de uma sextavada 4,5; agora na sala já temos um sofá, um balancé, uma cadeira funcional e dois pares de pernas de inox, desconchavadas, mas promissoras

numa casa de época (cont.)

os roncos da canalização assustam-nos mais do que os esqueletos que chocalham em americano no cartoon network

twittar os clássicos infantis (cont.)

mesmo que os anões estivessem no twitter, as frequentes quebras de rede na mina não os deixariam chegar a tempo de desdentar a maçã da miúda

o sexo é um jogo (cont.)

de tabuleiro: (1) o scrabble
entre deixar o outro sem palavras ou promover-lhe os vocábulos, todas as vitórias serão nossas

o sexo é um jogo (cont.)

de computador: (1) o tetris
à medida que se desce de nível é cada vez mais fácil encaixar a tempo

os issos de género (cont.)

mesmo difícil é retirar informação relevante das histórias de vida para por_no_gráfico

os issos de género (cont.)

como será que as estudiosas de género lidam com os contributos seminais?
acabo de sentar umas provas ao lado do camarada que só comia batatas; repensámos os sindicalistas e as hipotecas, não aderindo a nenhuns; e mais o estado previdência; e mais o nicholas barr; qual será a sentença do senhor oliveira sobre os (em)préstimos da educação? at the end of the day era isso que o amaricano da mesa devia ter perguntado; com sorte e em passando hoje por volta das oito, eu twitava-lhe a resposta amanhã
e enfim duma escolha faz-se um desafio
enfrenta-se a vida de fio a pavio
navega-se sem mar sem vela ou navio
bebe-se a coragem dum copo vazio
como diz a minha amiga, eu também não tenho saúde para metáforas; o meu email está-me mesmo privado; priva-me dele, portanto

26.3.09

numa casa de época (cont.)

as varandas puxam facilmente as memórias de uma clubmaster; como já lavei os dentes, divirto-me a adivinhar qual será a marquise do senhor oliveira

os issos de género (cont.)

finalmente elucidada sobre as propriedades organolépticas de uma brazilian wax, descubro também que ele há homens capazes de um verdadeiro salto evolutivo; munidos de uma máquina de barba, aventuram-se noutros hemisférios e nem precisam de tartarugas

numa casa de época (cont.)

moram putativos exterminadores; estes arnaldos desconhecem-se frequentemente e o chamamento pode demorar anos a chegar, mas quando ecoa assusta até as nessies da canalização; home sweet home o camandro, home fumigated home

numa casa de época (cont.)

não há lugar para objectores de consciência; logo à tarde, depois do serviço público e da marcação queratínica na eliete, atiço-me à diáspora dos insectos sociais

início da série: os issos de género

agora que me caiu a fitinha do pulso, afroxou o fecho do relógio e me descivilizei, ando despida de acessórios; procuro assim um enfeite anelar, desejo que alterno com um canhão de borracha leve com mais mostradores do que horas do dia
sabendo bem que, desassumidamente, catrapisco um cachucho de brilhos, experimento uma resina muito cool, muito understated, muito... unissexo! caramba, desde quando é que há anéis unissexo? aliás, gajos de anel têm um travinho e, em havendo opção, as miúdas preferem os que só cortam as unhas
ocorre-me ainda que deveria apreçar o estado do mindinho do senhor oliveira

25.3.09

início da série: numa casa de época

há por vezes uma neo-breed de formigas, mais pequenas e dissimuladas, que condomina as irregularidades dos tacos

twittar os clássicos infantis (cont.)

se o arauto do rei convocasse o baile pelo twitter, a cinderela teria tempo para desencavar uma fada-madrinha e uma boa abóbora?

?

lembro-me de a minha mãe se queixar que os electrodomésticos se avariam todos ao mesmo tempo; agora se me findaram o pó-terra e o toque-claro, o que devo fazer:
1) negociar um vale com o senhor oliveira
2) meter baixa
3) vigiar o frigorífico

o sexo é um jogo (cont.)

de cartas: (9) o uno
começa por parecer engraçado, aquele referencial juvenil, mas isto do gap de gerações não é uma invenção pós-moderna; ele há-o

o sexo é um jogo (cont.)

de cartas: (8) a copa
é o jogo preferido dos trintões cínicos, intimamente aterrorizados com mais quarenta anos disto

início da série: twittar os clássicos infantis

se a carochinha tivesse twitter, será que o senhor oliveira caía no caldeirão?
guio um automático com 1900cc; sou uma querida nas entradas das rápidas, mas não me putem na saída bichosa da cril para a segunda circular

24.3.09

o sexo é um jogo (cont.)

de cartas: (7) a paciência
self-explanatory

o sexo é um jogo (cont.)

de cartas: (6) o keims
esgalha-se um de cada naipe e no fim grita-se a vitória o mais depressa possível

o sexo é um jogo (cont.)

de cartas: (5) o burro em pé
apesar de ser um clássico, há quem nunca lhe consiga apanhar o jeito

o sexo é um jogo (cont.)

de cartas: (4) a espadinha
é tudo uma questão de expectativas; uma aposta a dois

o sexo é um jogo (cont.)

de cartas: (3) o crapaud
o par, as treze cartas presas; começa-se com o às e a mesa ordenada fecha-se com o rei

o sexo é um jogo (cont.)

de cartas: (2) o king
é cada um por si, com alianças ou sacanagens ocasionais; há variedade para todos os gostos e no final cada um tem a sua festa

início da série: o sexo é um jogo

de cartas: (1) a sueca
ele há pares, cumplicidade, trunfos, manilhas e muita fantasia nórdica

info-inclusão de bairro

estou louquinha para saber se o senhor oliveira acede à internet; se já terá as senhas para o IRS; se espiolha gajas; se emaila aos seus segurados; se podcasta os relatos; vou deixar um recado no café: o senhor twitta?

ao blog

estarei eu par'dá-lo ou 'bor'dá-lo?

140 cars per twitt ou os limites de velocidade

gosto de haikai, greguerias, letras de músicas e, sim, sms; adoro títulos; tenho muitas palavras favoritas; imagino que o chico também seria um rei no twitter; gosto de aforismos; hei-de aprender a praguejar, em curto; 140 é para meninocas, vou exercitar-me e começar a descer...

dezoito anos é muito tempo, muitos dias, muitas horas sem ir à dimofel

com um twitter (tweeter), vem sempre um wolfer (woofer)

dos clássicos

tweet, the house bird

23.3.09

bon voyeuse

hum, afinal há cadeadinhos; social ma non troppo; me gusta la ventana
parece-me que não twittar o the new york times não é uma opção da gente bonita
que prazer é ter um blog e não o fazer / postar é uma maçada / twittar é nada / o sol doira sem internet

10.11.08

5.11.08

bom dia América

60,964,092 votos e um slogan (@15:35) gamado ao Bob, the builder.

30.10.08

A imagem - construída com colónias de bactérias geneticamente modificadas com a proteína_nobel_2008 - muda durante todo o tempo da exposição.

27.10.08

backcast

Esta disposição está a encanitar-me o calor.

forecast

Este calor está a encanitar-me a disposição.

26.10.08

da biologia

As planárias têm um cérebro circular subepidérmico, ganglionar. Estão cobertas de cílios sensoriais; os músculos apenas lhes permitem torcer ou virar o corpo. Todos os órgãos vitais são simples. Não têm olhos, mas percebem a luz por ocelos. Todas as espécies são hermafroditas, mas também se podem bipartir assexuadamente. A maioria é carnívora ou necrófaga.

Ocorre-me que a evolução, afinal, não é uma coisa assim tão extraordinária.

22.10.08


Noone listens to this anyway [...] This is about when we were younger. Todos nós.

Ou talvez não.


Qualquer dia os 80's são só vintage, sem qualquer embaraço.
Pois que ainda estou para perceber como isto me acontece. Por exemplo, de como é que acerto nas mesas. Hoje, por acaso, leio uma frase e lembro-me do Ken.
O Ken é um gajo fantástico (desculpa Pat, ainda não me actualizei nos adjectivos). Tinha uma alcatifa verde-água e um Mac branco daqueles da bola. Confesso que aquele pelinho esmeráldico me constrangiu um bocadinho o andar (o inverno inglês não perdoa pegadas), mas tinha nível.
Íamos almoçar a um italiano ao lado da church. Bebíamos sempre vinho e espalhávamos muitas horas pelas histórias e pelo mundo (havia uma filha andarilha). Aprendi que (não) me fartei. Afinal, foi ele que inventou os 3%. O Ken é um wise guy e não tinha pejo de o assinar.

dos impérios

Construídos de chocolate. Apetece-me comer um império de chocolate.

20.10.08

wind (3)

and the wind did howl and the wind did blow

bad girls (5)

O que me estranha não é a cobraça. E não me pasma a competência da cascata na perna da Santanico (afinal, a rapariga fez-se). Engulo a inveja pela copa e mesmo a razão busto/cintura. Passo por cima da tenrice da Lewis. Agora o George com o cabelo escuro, what a fucking show.

loch, a única palavra que digo com sotaque

Bem cafôna, né? Cafoninha. I love it.

19.10.08

18.10.08

17.10.08

red

dos prémios coruscantes

Há, entre nós, alguns especiais. São seres de luz; por vezes forte como no meio da manhã; fusca como no final da tarde; promissora como a madrugada. Quando nos observam, fazem uma leitura de relâmpago cifrado. Nem sempre os vemos. Habitam as desoras, velam-nos os interlúdios. Como por magia, salvam o minuto de ouro no relógio. O segredo é saber aceitá-los, se algum dia os conseguirmos reconhecer. Mesmo depois de se arquivar toda a ciência, não há equação que os preveja. Simplesmente, acontecem-nos.

16.10.08

E agora, para variar, a crise financeira. Ou não.
O piercing vai bem, obrigada. E eu gramava mesmo isto.
Criança sem cáries. Criança com sorriso apertadinho. A fada dos dentes vai ter um trabalhão.
Ontem, depois deles, escavei a estante e o google à procura do parágrafo mágico. Nem floresta nem montanha. O tempo e o espaço são, afinal, termos de busca difícil.

15.10.08

Fronteirinhas



Um salão de Outono com mesas café-concerto; os quadros sentados, de pé ou encostados; os tri(n)tões; as jovens promessas de 55 anos; as barbas tenras de quem tem 20 anos e ainda demasiados clichés. I thought that I heard you laughing.

14.10.08

perguntas (2)

Ò mamã, o que é que acontecia se a Terra não girasse?

declinações

O tempo e o timing são duas coisas completamente diferentes.
My mother loved it so she said
Sad eyed pearl and drop lips
Glancing pierce through the writer man
Spoke hushed and frailing hips
Her old eyes skim in creasing lids
A tear falls as she describes
Approaching death with a yearning heart
With pride and no despise

Hot tears flow as she recounts
Her favourite worded token
Forgive me please for hurting so
Don't go away heartbroken no

Just wise owl tones no velvet lies
Crush her velvet call
Oh Marlene suffer all the fools
Who write you on the wall
And hold your tongue about your life
Or dead hands will change the plot
Will make your loving sound like snakes
Like you were never hot

13.10.08

nurture

> O mamã, não era tão bom uma escola sem regras?

nature

Sábado à tarde, no hipermercado da terra. Passeio um cesto com rodas (que parece um trolley de cabine; sou igualmente desajeitada com este) com as coisas da lasanha (nunca vou às compras assim, com fito, mas a minha boleia tinha levado a criança ao horto sem promessa de voltar).

> Olá L., olá A., olá M. (mãe com dois filhos).
> Olá... (e conta-me que o puto, colega da pisca larisca, tinha partido os segundos óculos desde Junho; e mais o sábado ali; e mais que ele tem tanta energia; e mais - o puto é mesmo levado e eu sou muito caridosa com mães exaustas - ...)
> Tu és a mãe da M., tu és a mãe da M., tu és a mãe da M. E como é que eu sei? Porque tu és muita parecida com ela!

...

> Toda a gente diz que tu és parecida comigo.
> Mas tu és muito mais linda.
> Ò mamã, tu também és gira... (assim condescendente).

...

Quinta-feira vamos ao dentista. Raios me partam os genes.

to have and have not (3)

Was you ever bit by a dead bee?
Was you?
Yeah. You know, you gotta be careful of dead bees. They can sting ya just as bad as live ones, especially if they was kinda mad when they got killed.
I feel like I was talkin' to myself.
I bet I've been bit a hundred times that way.
Why don't ya bite 'em back?
I would, only I haven't got a stinger.

Eddie é um rummy e as abelhas esvoaçam-lhe do hálito para avaliar cada nova personagem; uma espécie de teste de carácter embebido no guião.

Terá porventura os seus perigos, esta análise pronta. Faço-o mil vezes. Um sistema binário de rights e wrongs. Em havendo tempo, estou em crer que as iterações corrigem os erros mais grosseiros.

12.10.08

to have and have not (2)

É um Hemingway, com rasuras de Faulkner. Um pós-Casablanca. Há um bar e um piano.

I'd rather you wouldn't call me Slim. I'm a little too skinny to take it kindly.

bad girls (4)

to have and have not (1)

No cotovelo da confeitaria, um rolinho de fita vermelha e branca laça o papel de seda.

Lúcia Maria Rita, Nacional (Setembro de 2008)

bad girls (3)

Sofia Coppola filma Kate Moss para White Stripes

perguntas (1) - ou uma série que promete

Para que serve o medo?

11.10.08

Este estabelecimento recebeu uma reclamação. Sendo que foi em sede de audiência prévia (10 dias úteis, exclusivé o da notificação; artº 100 CPA) releva para a decisão final.
Faz-se por este meio saber que Cansei de ser sexy não se equipara a Peaches na categoria badness.
Lauren would definitely abide by this.

10.10.08

worldclass (cont.)

O meu computador foi infectado por spyware (já isto é um charme).
O informático justifica-o por eu ser uma power user.

Auxiliares de crescimento (after R.)

Ocorre-me que a miúda nunca viu os Marretas.

não sou ateniense nem grego

Nem romano. LXXXI
Toda a gente lê logo 81, menos eu que acho que é Lisboa 21.
Mas muito bom foi ver a inteligentzia a fazer uma boquinha francesa para conseguir sorver os cocktails coloridos dos tubos de ensaio, fininhos, fininhos.

fashion victim

Hoje de manhã fiz um corte na cabeça do dedo anelar da mão direita. Depois de um duche psico-like, procurei um penso e escolhi o azul, com um cavalinho castanho. Para além de eu não usar vermelho, achei que aquele ficava bem com o forro da minha mala de mão.
Há demasiado tempo que não compro uma Vogue.

9.10.08

liability

Imagino se haverá precedente jurídico. Se alguma vez terão sido preenchidos formulários, pagos os emolumentos e carimbados os originais. Se os causídicos se terão reunido e lavrado as actas.
Tenho poucas coisas sentidas como minhas; breves posses inalienáveis. Uma vida que corre fora de mim, umas memórias, uns afectos; e depois há as minhas palavras.

7.10.08

bad girls (2)

bad girls (1)

parenting

pausing

as your last breath begins
you find your demon's your best friend
and we all get it in
the end

peanuts

A miúda tem bigode. Bigode e um bocadinho de pera. Obrigou a avó a esconder os rolos de papel higiénico. Está viciada em assoar um ranho imaginário. Armo-me de creme gordo e vigio uma fralda arrastada lentamente.
Ela lembra-me o Linus, mas eu não quero ser a Sally.

5.10.08

lacrimosa dies illa

Noventa e dois anos depois, doze horas de vela.
has the world changed, or have I changed?

2.10.08

clubmistress

Ando há semanas atrás de uma carteira de fósforos. Em vão, até de escada. Pressuroso, o rapaz estendeu-me 50 cêntimos de um lume de isqua que não arde. Hoje cheguei mesmo a pedir a um estranho que escavasse os bolsos para me acender. Imagino que seja uma boa pega na noite. Nas minhas duas da tarde, lá fora, de onde não se pode entrar in your bare feet, foi só uma deixa.
Gosto do beijo no papel molhado, da primeira sucção de luz, da boca cheia de uma combustão perfumada, da anestesia levemente picante na primeira metade da língua. Prefiro a primeira metade, sempre fui melhor no princípio do que no fim. Gosto do segurar breve, do toque certeiro do polegar, do rasto que fica na ponta do dedo que mordisco quando estou tensa.

Chico meets Lauren

1.10.08

B&B


What about that?

broad(2)_casting

she pretends she is a movie star
he pretends he is a king
she pretends she is a ballerina
he pretends he can sing


29.9.08

a skin, a night

we are very much in the middle of something

lost art of conversation

Ele há aquelas piadas privadas dos grupos de amigos e nós temos o que disparate, disse Thérese docemente. Por vezes seguido do vou casar-me e nem sequer gosto dele da Leonor Silveira.
Foi há uns 15 anos em Cabanas, num final de Setembro, quando eu ainda usava azul. Só azul. E cinzento; assim azulado. Quando eu tinha o cabelo comprido, prolongado nas franjas dos lenços e um calo no calcanhar direito das protosandálias; não sabia fazer arroz de polvo e era bastante judgmental, só que ainda não me tinha apercebido. Felizmente resolveu-se tudo e, não fora esta resistência às panelas de pressão, até já podia dominar o polvo.
Liamos passagens do livro à vez, como se fossem joints (mas não eram, por causa daquilo do judgmental).

broad(1)_casting

Ocorre-me que a coisa será filmada (mas não me lembro bem para quê, para quem; seremos só nós numa espécie de ensaio?...). Gosto de salas reais, com pessoas que respiram (seja tédio ou rebuçados de mentol). Não fico nada bem através de lentes.
Bem, vou de preto e a ver se empoo o nariz.

(1) slang term for a woman; "a broad is a woman who can throw a mean punch"; i wonder if Lauren ever qualified...
Amanhã vou arredondar o tema do costume, com as pessoas do costume, numa mesa igual às mesmas de sempre ou o diabo por ela. Deve ser por isso que espero uma conversa circular.

interlúdio

Nos últimos dias, por várias vezes me tentam o email com as malfadadas Morocco Experiences:

4 noites e 5 dias em expedição de luxo até às fantásticas e inesquecíveis dunas de Chegaga.
Todos os alojamentos são 5* incluindo o nosso Bivouac Berbere de luxo e privado.
O transporte é feito em Toyota Land Cruiser com motorista privado.

Ora bem. Eu não sei onde ficam as Chegaga, irrita-me tanta referência ao luxo (isto deve funcionar ali para os executivos das avenidas novas) e abomino Toyotas. Mas o que não me passa mesmo, o que me desconcerta e invoca sevícias dolorosas é a merdice absoluta do slogan,

“… sob um céu repleto de estrelas como jamais imaginou…”

Ai.

28.9.08

leather tramp

An aesthetic voyager whose home is the road.
[soundtrack]

kronkronhinko

> Mamã, que música é esta?
> É worldmusic, música do mundo.
> Ah, é música do planeta Terra.

(s)words

p.36 (de um presente de aniversário)

não confies em mim mulher mas desconfio haver de amar-te
até ao fim do mundo frase conhecida que me surge
...
não sei não sei donde é que venho não importa vindo eu
do metro ou tarde é para ti que na verdade vou

girls in white satin


Cetim ou a trama da maioridade.




crown


26.9.08

wind (2)

Never seek to tell thy love,
Love that never told can be;
For the gentle wind doth move
Silently, invisibly.

25.9.08

das versões

Chegou por skype, da minha amiga.
Bonito e denso, como ela.

hang_begin

Yes the picture's changing
Every moment
And your destination
You don´t know it

hang_over

Now the party is over
I am so tired

O meu primeiro vinil foi o Avalon dos Roxy Music. Um presente no Setembro de 1982. O ano em que nasceu o puto com quem esfumei o fim da noite da alameda. A juventude que tem todos os futuros.

sealife

Antes do jantar, pus a miúda de molho no johnson violeta e aterrei na esquina da cama que ma deixa ver de esguelha.
Role-playing, faz muito e isso é bom, que a vou ouvindo ao lado; é nestas alturas que percebo o que se passou na escola, que lhe detecto os gostos, as tensões, que lhe avalio o grau de cansaço e a probabilidade de comer capazmente o jantar. Ou não. Às vezes é só um barulhinho indistinto, um marear vigiado de olhos fechados; às vezes é só o meu braço direito em cima dos olhos e uma vontade funda de adormecer.
> Mamã...
> Sim...
> Mamã, caiu outra vez a cauda do peixe (é um nemo de plástico ranhoso, comprado num chão de Madrid, ao lado da Atocha, nem sei porque me lembro tão bem disto). Vens cá arranjar?
> Agora não, põe aí ao lado que já o vou salvar...
> Ai, preguiçosazinha!

24.9.08

hoje, às 4 da manhã

> Mamã...
E tropeço-me até ao quarto.
> Sim...
> Ontem fui com o papá ao McDonalds.
E voltou a adormecer.

the big high - day after

De repente, lembrei-me onde é que eu já tinha encontrado aquela epifania.

23.9.08

dressed up


Up like in 7cm.
vou desarmar a flor queimada
vou beijar o homem-bomba
mas não quero adormecer

Hoje, também para a minha Universidade.

nós já vivemos cem mil anos
encosta-te a mim

chegado da guerra,
fiz tudo p´ra sobreviver
em nome da terra
no fundo p'ra te merecer

tudo o que eu vi
estou a partilhar contigo
o que não vivi
um dia hei-de inventar contigo

22.9.08

21.9.08

the wish

In the end, she just blew it upon the passion fruit dessert.

numerologia do vintage

O meu número favorito é o 3; 21, dois mais um dá três; 9, nove é três ao cubo; 36, seis é o dobro de três.

quoting: Quando eu ser crescida ...

... vou num avião à Austrália, com a minha mamã (às vezes é à Serra da Estrela).
... também vou à minha vida como vocês.

da linguagem

De manhã (caramba, ainda estava escuro!) a minha filha Mariana conta-me não que teve um sonho, mas que fez um sonho.
Lembrou-se sozinha há mais de uma semana e arrastou o pai para o shopping a um sábado à tarde.
Hoje, ante das oito (caramba, ainda estava escuro!) ofereceu-me um colar para usar com um vestido e ficar gira para a festa.

*

Já confirmei isto com outras mamãs: os aniversários dos pais contam à brava para os filhos. É também por isso que, para além do meu mau feitio, logo à noite vamos soprar-nos as duas em cima de uma tarte de maracujá.

and then some

...

by myself


36
As a pioneer, it constantly innovates and delivers unique pieces going through non-traditional treatments to create inventive characteristics ensuring that no two look a like and never-ever look like any one else’s. It is our nature to create intentional cosmetic imperfections and any irregularities on our finished products are inherent to our brand and are not a defect.
[...]

20.9.08

P/Fierced

Quase cinco anos depois volto a cicatrizar um umbigo.

19.9.08

clubbing


mini vanilla

wind (1)

I love the way
The tattered clouds
Go wind across the sky

black, caramel and a berry

Eu hoje sou uma sobremesa; ela é uma poker face.
Estou viciada naquela descriçãozinha do skype.

it's friday

Hoje é a última sexta-feira dos meus 35 anos. Ora isto não tem importância nenhuma e não é uma data especial.

18.9.08

fire exit

Anybody got a match? ou porque é que um isqueiro nunca será a mesma coisa.

sete centímetros em dark purple

Na próxima semana tenho um jantar. Nos momentos mais tensos, invocámos várias vezes os copos que beberíamos na ocasião, resgatados da missão e da visão, convencidos dos valores e da geometria.
Imprudentemente, decidi que usarei saltos e anunciei-o. Cheguei a convocar vindas em nome de um braço que possa segurar. As expectativas, sempre as malvadas expectativas. Uma miúda rasa a escalar a maioridade, um ritual de passagem; só custa a primeira vez.

let's be merry


Junto ao rio, Marylee procura conquistar Mitch, entediado sobre a flanela. Invoca razões históricas e formais, oferece busto e cintura, uma garrafa de vinho.
Mas o cigarro dele pende inexoravelmente e não há homem que descaia assim perante uma mulher querida.
Tragicamente, ela pede-lhe muito mais do que let's be married.

17.9.08

touchpoint

Mamã, cada um veste a sua roupa.
E vestiu-se.

16.9.08

you just put your lips together and blow

84


happy birthday Betty Joan

busted out of class

O meu decote é uma fraude. Uma mistura minimal de nature & nursing sustentada com alguma habilidade pela engenharia dos criadores de lingerie.
Hoje tenho um vestido azul, claramente acima do meu tamanho. Contudo, resisti à falsidade dos peitinhos de frango. Lauren would nod me wrong.

worldclass (cont.)

Perguntam-me onde fica o meu edifício tratando-me por senhorita.

tuesday is grey

pat, do you realise this constitutes hugging?

15.9.08

i don't care if monday is blue

I am pairing violet toes with a leopard waist belt.
Lauren would nod me right.

baixa fidelidade

Para quem assumidamente gosta de homens que falam pouco, tenho um fraquinho improvável pelo John Cusack.

some people, as far as your senses are concerned, just feel like home

worldclass (cont.)

Marcar com o meu chefe na Brasileira, a um sábado, às sete e meia, para rever uns ozalides; ter ao lado uma experta que confirma a minha utilização do ponto final.

14.9.08

Diz que é uma alma gótica, mas com um humor negro. Mudou o meu contacto no telemóvel para Ana Vento.
Diz-me que sou ávida. Reconheço que tenho urgência, mas não pressa. Mais tarde, ela aperta-me a mão no teatro.

onomástica

Lúcia Maria Rita

uma branca de neve numa carpete enrolada

Na Cornucópia, uma mulher da nossa criação envelhece-se, homeniza-se, bebe, cospe e tropeça numa alcatifa cinzenta.
Fantástica. A mulher, não a alcatifa.

coisas que não se devem tentar em casa

Pintei as unhas de roxo. Nacarado.

a meio da Joaquim António de Aguiar

Contaram-me que há fios dental para homem. Ou melhor, para gajos com um piquinho a azedo.

12.9.08

note to self

A minha filha Mariana,

. gosta de se esticar na cama, numa espreguiça matinal ensaiada, teatralizada com bocejos exagerados e uma vontade que lhe começo a perceber de ser crescida
. é mais despenteada que eu; vou deixar crescer o cabelo e já a apanho
. gosta muito de desenhar e pintar; faz bonecos sem pescoço; efabula-me uns caracóis dourados enroladinhos como o mar (eu, que gostava tanto de ter o cabelo liso, passei a consolar-me com isto nos dias de chuva)
. gosta de me ver de vestido, mas puxa um choro confrangedor a qualquer ensaio de lhe enfiar um
. começa a ter os primeiros sinais
. adora a rua

wishing upon my star

Gostava de desencardir as unhas dos pés da miúda.
Haverá produto específico ou é só deixar de molho?

quotes (1)

Life is what happens while you are busy making other plans.

No one likes to take a test

Eu também gosto.

11.9.08

worldclass

Não releva se contratamos 40% de estrangeiros; se o meu gabinete recebe países terceiros ou se fico na lista de espera telefónica do SEF à conta dos vistos; se ontem tivemos um telão a transmitir o rodopio ou se há sempre um prato vegetariano. O selo da cosmopolitanice está colado na porta de entrada do meu instituto e diz que é proibido entrar in your bare feet.

lifetracks

Sim, The National é muito giro (hoje é 9/11). Chico é um rei. Mas a minha banda ainda é tudo menos a rapariga.

10.9.08

A Turma da Mónica voltou.

- Aquele é o Cebolinha.
-Não mamã, é o Zé Bolinha, mamã: o Zé Bolinha!

a-lauren-in-the-making


Por razões óbvias, começo pelos sapatos.

8.9.08

Sábado à tarde, na segunda fila da cinemateca, ocorreu-me...

Extasiada pelo technicolor, presa à chuva do celulóide que precede o primeiro plano, estranha às legendas em espanhol (?!), sosseguei. Não são só os filhos que crescem dos pais.
Cigarettes and liquor. A Lauren Bacall tão maravilhosa que me senti feita em bruto (assim mal acabada). A Dorothy Malone desesperada, apesar do busto.

... sinto-me capaz de usar saltos.

nota editorial

Desde o início, crescemos as duas.
As piolhices continuam aqui o diário dela e de mim com ela.
Eu, para além dela, vou.

ri-me de ti
"então porque não voas?"
e então tu olhaste
depois sorriste
abriste a janela e voaste

31.8.08

what's my point?*

As amizades, assim em bom, precisam de tempo para se entrincheirar; para partilhar e construir uma memória; para fruir as comunalidades e dispersar as idiossincrasias.
Ontem, mais uma vez, arrastei uma mistura de tolices, intimidades, circunstâncias, sofrimentos e risos pelas pedras da calçada. Descascámos o verão, numa purga terapêutica de verdades, verdadinhas e, quiçá, equívocos fantásticos. Só por isto, já teria valido a pena construir na blogosfera.
Se calhar, aproveitamos para pausar por aqui. Fizemos gosto.


*a Pública de hoje tem uma peça sobre o Dude. Foi um dos primeiros filmes que vi em cima. Gostei de todos, preferi o Donny.

2008/2009

Amanhã é dia de ano novo.
A pisca será uma menina da sala verde, haverá uma lista de material na porta e vou arranjar uma ginástica fora da escola que a canse (a miúda procura consistentemente o maior segmento possível de corrida na sala, pula desmesuradamente entre o sofá e o fatboy e eu já não posso ignorar mais isto).
Eu, que não tenho cadernos novos, comprei umas botas maravilhosas e tenciono resgatar em mim um rabo de cavalo, ou, pelo menos, um pincelinho de barba.
Entre uma e outra coisa, todos os dias serão nossos.

28.8.08

a sapiência universitária, o mundo animal e a creche fechada

[em frente à entrada da nave-mãe, expliquei-lhe a simbologia do mocho]

À saída:
- ò mamã conta-me lá outra vez aquilo do morcego.

27.8.08

Amizade é ...

you're no spring chicken

Quase vinte anos depois é isto que se ouve dum gajo que vive debaixo do chão numa pedrita.

24.8.08

Então, as férias?

Amanhã (re)começa a conversa do costume. Então, as férias? É como depois do Natal. Então, o Natal?
As férias passam-se, pá.
Houve alturas em que as férias eram intermináveis, arrastadas entre a biblioteca da Junta e a sala, quando não havia televisão antes das cinco da tarde e depois se viam os documentários do fundo do mar e tal. Aquilo nem devia ser editado porque em boa verdade nunca mais acabava (é que o mar é muito grande e tem muito fundo). Como eram as férias.
Agora as férias são diferentes. Aliás, chamar-lhe férias é assim um hábito, um anacronismo, uma espécie de membro fantasma. As férias agora parecem mais conjuntos seguidos de fins-de-semana.
Depois há aquele pormaior, os miúdos. As férias dos pais nunca mais são como as férias dos filhos. Uma família alargada, sitiada num local que, mesmo quando hóspito, é falho das referências que geoposicionam cada um.
O direito a férias é parcimónio porque o legislador era um homem sábio.

birkinolage

...

[na verdade é uma kelly, mas lixa-me o título]

silly season - le grand finale


Estava convencida que era uma espécie de calquito e queria uma osga. Recebi uma recusa suave (o desenho era muito pequeno e difícil) e um sinal para as borboletas, que é como quem diz "as miúdas gostam é destas coisas". Afinal, um cliché é um cliché, que é um cliché (1).
E assim sendo, esta manhã, no areal, um rapaz pousou-me um lepidóptero a tinta da china, logo acima da mama esquerda. Vou passar a tarde a testar decotes (2).

(1). a menina obrigou-me a prometer-lhe uma igual, para quando for crescida, se é que tal epíteto se me aplica.
(2). deus me livre se a hierarquia me vê isto.

23.8.08


precioso

cGac


a_cervo


...

Envelhecemos todos.

little portugal

Podia dizer muitas outras coisas, mas apesar, ou para além, é um clássico cá do rectângulo.

12.8.08

caramulo (II) - escatologia serrana

- Ò mamã, lá no Caramulo há casa de banho?
- Sim.
- Ainda bem. É que quando lá chegarmos eu vou fazer cocó.

caramulo (I) - urbi et orbi

(na subida da serra)
- Ò mamã, daqui vejo o país inteiro!

7.8.08

le fabuleux destin

hier soir, avec amélie

31.7.08

das férias

Quando pedimos um cone de gelado com o chantilly por baixo.
É esse o momento em que escrevemos o out of office autoreply.

30.7.08

...

Tem graça que ando às voltas com isto. Aliás, os blogs criam correntes de assuntos.
Eu também não sei como é que as pessoas que lêem estas postas me imaginam porque eu, de facto, conheço pessoalmente as pessoas que eu sei que lêem as postas. As outras, que eu não conheço, e que não me conhecem a mim, e que se calhar lêem as postas, são uma massa indiferenciada a quem eu não consigo atribuir opiniões.
Claro que eu podia perguntar a algumas pessoas, que eu conheci depois de terem lido algumas postas, se eu sou como elas me imaginavam. Mas nunca perguntei. Nem sei se quero saber a resposta.
É que por acaso irrita-me esta coisa de as pessoas (como eu própria) acharem que conhecem as pessoas que lêem (como eu faço). Ou, personalizando, de haver pessoas que acham que me conhecem à conta disto. Claro que esta irritação não é, em boa verdade, contra as pessoas, que eu não conheço e de quem não posso ter opinião, é contra mim, que me dou aqui a conhecer e mais às minhas coisas.
É que eu gostava de ser complexa, mas sou só complicadinha.

29.7.08

thin-skinned, temperamental, ripens early

MAYA
Why are you so into Pinot? It’s like a thing with you.

Miles laughs at first, then smiles wistfully at the question. He searches for the answer in his glass and begins slowly.

MILES
I don't know. It’s a hard grape to grow. As you know. It’s thin-skinned, temperamental, ripens early. It’s not a survivor like Cabernet that can grow anywhere and thrive even when neglected. Pinot needs constant care and attention and in fact can only grow in specific little tucked-away corners of the world. And only the most patient and nurturing growers can do it really, can tap into Pinot’s most fragile, delicate qualities. Only when someone has taken the time to truly understand its potential can Pinot be coaxed into its fullest expression. And when that happens, its flavors are the most haunting and brilliant and subtle and thrilling and ancient on the planet.

*

> ò mamã, nós estamos no planeta Terra?
> sim
> que bom, gosto muito do planeta Terra.

28.7.08

just go to the mall

This blog is sentimental tacky crap; are you in a coma?

27.7.08

teen_Aging

Ou então somos é uma geração tardia.
Descascamos cuidadosamente os tiques da maioridade, recusamos admitir que já não somos um x-s, alimentamos um calão anacrónico. Alguns mantêm o look EP, (ainda) usam t-shirts de bandas ou recusam-se a usar carteira. Eu tenho um anel no segundo dedo do pé direito, comprei umas sandálias com franjas e tenciono passar o verão a dizer fixolas como a minha amiga. Na rentrée logo me preocupo outra vez com isso.

25.7.08

ya(w/r)n

Apetece-me fazer isto, que é quase igual a isto, que já fiz.
Desde o vendedor de passados que acho graça a homens que falam de osgas.

24.7.08

thir(s)ty-something-else

Somos uma geração precoce.
Galgámos umas quantas escadas e agora trambolhamos de cima.
Ontem almocei lá em baixo. Uma salada generosa, descrita em três linhas de menu. Mudaram outra vez a decoração. Roxo. Um avental preto, demasiado solícito, esvoaçava por cima das nossas azeitonas. E pronto, logo no paté a conversa aterrou no sítio do costume.
Tal como o menú, temos um currículo com muitas linhas. E perante as opções, temos pressa. Precocemente aborrecidos, alimentamo-nos de novidade, sempre à espera de outra coisa qualquer. Não é necessariamente melhor, é outra. Parece que há quem se drogue, quem compre uma vespa, faça um piercing. Outros apaixonam-se pela vizinha [e eu disse-lhe: sim já sei, os pés da tua vizinha... vá, liga-me quando quiseres falar disso e não faças disparates].
E a vida é isto. Os melhores anos da nossa vida numa nostalgia precoce.

the noise from the crowd increases the chance of misinterpretation

Acho o teclas giro; assim tenrinho.

23.7.08

frágil

Faz-me um sinal qualquer
Se me vires falar demais
Eu às vezes embarco
Em conversas banais

A urgência de agarrar
Qualquer coisa para mostrar
Que afinal nós também temos mão na vida
Mesmo que seja à custa de a vivermos fingida
O estatuto para impressionar o mundo
Não precisa de ser mais profundo
Que o marasmo que nos atordoa

Todos nós pagamos por tudo o que usamos
O sistema é antigo e não poupa ninguém, não
Somos todos escravos do que precisamos
Reduz as necessidades se queres passar bem
Que a dependência é uma besta
Que dá cabo do desejo
E a liberdade é uma maluca
Que sabe quanto vale um beijo

...

apenas uma palavra por dia, o bem que me fazia

ilha

22.7.08

sex in the garden

Successful fertilisation in the angiosperms depends on pollen tubes finding their way to the ovule. In vivo, pollen tubes frequently change their direction of growth until they finally reach the micropyle. Once in the female tissues, changes in growth direction must arise from the perception of ill-characterised spatial, mechanical electrical and chemical cues from the stigmatic environment. Exactly how these signals are perceived and transduced is not yet known.

[...]

It is interesting that when addressing the reluctance of cAMP signalling pathways in plants, Bolwell (1995) already put forward this same intimacy between AC and stress signalling […] Even more significant to this work is that the same rationale could be applied to pollen tubes: localised interaction with environmental cues at the very tip, where reorientation can occur within a few minutes.

***

Sete anos depois, ocorre-me: será que isto faz de mim uma perita em relacionamentos?

20.7.08

Beco da Verduga, 17


Segues a linha do eléctrico, atiras-te ao poço, viras à direita e entras no beco; percebes ao fundo o azul e branco, sorris-te e começas a subir as escadas; esticas a manta no fresco e dispões-te; enches os copos de risos e misturas a salada; o tomate biológico come-se com casca e as purpurinas brilham-te por dentro.

intelligent design


O deles, que nós tivemos mesmo foi sorte.
Anyway, obrigada mr bd.

six feet above


Há uma graça acrescida em amigar a F1. Os filhos não são os pais (tal como nós gostamos tanto de fazer notar um degrau acima na progenia). Os filhos são pessoas pequeninas que tecem as suas próprias malhas, mesmo quando ainda lhes fiamos a teia.

18.7.08

escancarei a porta do bar

Esta coisa de fazer amigos novos traz uma nostalgia danada dos amigos velhos.

copycat

- ò mamã porque é que tu não sujas a boca a comer?
- porque a minha boca é grande e eu abro-a bem para acertar com o garfo
- ò mamã, suja lá a boca
Não me lembro quem é que disse isto, mas o problema de ouvir Tom Waits é que depois só se consegue ouvir Tom Waits.

17.7.08

lavanda blues

Enquanto me lembro de um verão longínquo, duas miúdas esganiçadas no banco de trás do Honda do Manel, ocorre-me o moto perfeito para este meu gabinete.

> a penny for your thoughts <
Primeiro o João, depois o Pedro.

Mas o que interessa mesmo é isto:

“Now we have fashion universities, and the world media is here,” she observed before shooting off a list of Portuguese designers now working senior positions in major international fashion houses..."

A ver se o meu pai deixa de dizer que eu só tenho queda para profissões de mal-vestidos.
we busted out of class
had to get away from those fools
we learned more from a three minute record
than we ever learned in school

murmurs

Eu ia avisada. Já não me lembro quando é que ouvi a história pela primeira vez (mas lembro-me das letras do Bruce Springsteen, por exemplo), mas vi-os naquele vislumbre de Roma, há muitos anos. Recentemente, estornei-me.
É admirável. Ainda mais quando se formaliza o espanto.

They found that a given bird interacts not with all birds within a certain distance, as most models had assumed, but rather with a fixed number of neighboring birds - usually six or seven ...

Novamente, como no liceu.

16.7.08

frankly

I want to live and I want to love
I want to catch something that I might be ashamed of

15.7.08

résumé

Por causa das viagens dos outros, imagino como seria o meu resumo. É um exercício recorrente, reduzir mentalmente as minhas materialidades. Alguns dirão que é mesmo só mental. Admito que colecciono um número insano de vestidos e tops. Que tenho cinco pares de birks. Mas nada disto é verdadeiramente importante ou representativo. São apenas pedrinhas de sal. Embaraços burgueses, coisas da idade. Tenho uma wish list breve de objectos de culto. Aquisições inscritas no ar do meu tempo, que há-de vir.

Se eu me guardasse num contentor, estimo que ocuparia 4 m3.

Depois levava cinco vestidos, uma camisola, um impermeável e uns óculos escuros. Mais o google e um frasco de creme nívea. Tricotava quadrados que me enviava pelo correio.